On News: confira as notícias dessa quinta-feira, 29/11
28/11/2018 22:32 em Novidades

Além das drogas, PM apreendeu com traficante réplica de pistola, binóculo e dólares (Foto: Polícia Miltar)

 

CIDADE

- Em nota oficial, a Prefeitura de Poços de Caldas comunica que, apesar das dificuldades financeiras geradas pelo atraso nos repasses do governo estadual, irá efetuar o pagamento da folha salarial de novembro e o vale-alimentação aos servidores públicos municipais. Porém, as horas extras realizadas no mês de outubro serão pagas de forma escalonada, nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2019. A administração municipal também garantiu o pagamento da folha salarial, do 13º salário e do vale-alimentação do mês de dezembro. A Prefeitura encerra o comunicado pedindo a compreensão dos servidores.

- A Polícia Militar de Poços de Caldas prendeu na última terça-feira, dia 27, o traficante A. L. G., de 36 anos, mais conhecido pelo apelido de Penico. Ele tentou fugir ao perceber a aproximação dos policiais, mas acabou detido após perseguição. Com ele, foram encontradas pedras de crack, material para embalar a droga, uma réplica de pistola prateada e um binóculo, assim como a quantia de 197 Reais e 6 dólares em dinheiro. Penico confirmou aos militares que vende drogas e utiliza o aplicativo Whatsapp para se comunicar com os clientes. A prisão foi realizada na Rua Fernão Dias, no bairro Santo André, na zona oeste da cidade.

- A partir dessa quinta-feira, dia 29, o Diário Oficial do Município passa a ser publicado exclusivamente em formato eletrônico no site da Prefeitura: www.pocosdecaldas.mg.gov.br. O Diário Oficial em versão digital foi criado por lei em junho de 2018 e, por ele, é possível consultar as leis e atos oficiais do Poder Executivo Municipal. A Secretaria Municipal de Comunicação Social manterá um exemplar de cada edição em arquivo impresso. Segundo a Prefeitura, a implementação do Diário Oficial em versão digital é uma forma de garantir mais transparência ao poder público, além de economia para os cofres do município.

- Nessa quinta-feira, dia 29, a partir das 7 horas da noite, a Câmara Municipal de Poços de Caldas promove o painel de debates "130 anos da Lei Áurea: história e desafios." Trata-se de evento comemorativo e reflexivo sobre a história da escravidão, o movimento de abolição e as relações de trabalho no Brasil. Os palestrantes serão Ana Maria Brochado de Mendonça Chaves, professora da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) e especialista em História do Brasil e História Moderna da América; Maria José de Souza, a Tita, socióloga, historiadora e escritora; e Paulo Tadeu, ex-prefeito da cidade e atualmente vereador.

 

BRASIL

- O presidente eleito Jair Bolsonaro disse que teve participação na decisão do governo brasileiro de retirar sua candidatura para sediar conferência a COP-25. O evento é voltado para negociar a implementação do Acordo de Paris e ocorrerá de 11 a 22 de novembro de 2019. Bolsonaro disse querer evitar controvérsia com setores ambientalistas sobre a criação do corredor ecológico internacional Triplo A, que envolveria a região da Cordilheira dos Andes ao Atlântico, englobando a região amazônica de oito países, afetando mais de 30 milhões de pessoas. No Brasil, o Triplo A abrangeria os estados do Amazonas, de Roraima e do Amapá, representando 62% do território geral do corredor.

- O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) decidiu reduzir a pena de Antonio Palocci na Lava Jato para 9 anos e 10 dias, com cumprimento em regime semiaberto em prisão domiciliar com monitoramento eletrônico. O ex-ministro dos presidentes Lula e Dilma está preso desde 2016 na Polícia Federal, em Curitiba, após a condenação por ter negociado propinas em contratos da construtora Odebrecht com a Petrobras. Os benefícios foram por conta da delação premiada de Palocci, que poderá deixar a residência onde mora apenas para trabalhar, devendo dormir e passar os finais de semana em casa com monitoramento eletrônico.

 

MUNDO

- O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohamed bin Salman, terá a garantia das autoridades da Argentina de não ser preso no país durante a reunião de cúpula do G20, que acontece em Buenos Aires na próxima sexta-feira, dia 30 de novembro, e sábado, dia 1º de dezembro. A organização Humans Rights Watch pediu à Argentina que o investigue, já que a Constituição do país reconhece a jurisdição universal para crimes de guerra e tortura, não importa onde tenham sido cometidos. O príncipe saudita é suspeito de ter atuado no assassinato do jornalista compatriota Jamal Khashoggi, ocorrido na embaixada da Turquia, e vem sendo criticado também por crimes contra a humanidade em conflito no Iêmen.  

COMENTÁRIOS